press to zoom

press to zoom
1/1

Colonização da Ilha Grande

   Após a chegada de Dom Vicente da Fonseca por volta de 1559, que foi enviado pelo Reino de Portugal, para administrar o local iniciou o processo de interesse de colonização do local.

   Com o avanço da cultura da cana de açúcar começou a colonização da Ilha Grande, por volta de 1725 a 1764, porém o café começou um pouco mais tarde, por volta de 1772 e 1890. Em 1803 em Freguesia de Santana aconteceu a primeira identidade jurídica, quando o tráfico inlegal de escravos tomou força na região, e que se estendeu até o momento da abolição em 1888.

   Por volta de 1591 já havia registro de casas de portugueses no local, quando Anthony Knivet, chegou ao local a bordo de uma armada corsário, já na época Antony registrou que existiam algumas construções onde uma delas era na praia do morcego onde o pirata espanhol Juan Lorenzo vivia,e que até hoje existe essa construção, porém em uma propriedade particular, não podendo ter visita ao publico.

   Na enseada das Palmas também foram registradas 14 casas que estavam espalhadas entre a praia dos Mangues, praia do Pouso e Aroeira.

   Na enseada do Abraão, foram registradas 2 casas, espalhadas pela praia Preta, Praia da Júlia e Bica.

  Na Enseada das Palmas foram assinaladas 14 casas que encontravam-se distribuídas na praia Grande das Palmas , na praia dos Mangues eram 7 casas, na praia Grande do Pouso e 1 na praia das Aroeiras. Eram 14 construções e 2 destacavam-se apresentando proporções bem maiores do que as outras, localizadas uma na praia Grande das Palmas e outra na praia do Pouso.

   Na enseada das Estrelas tinha o maior número de casas , que chegaram ate 24 casas, entre engenhos e moradias, que estavam entre a praia da Feiticeira, Iguaçu, Camiranga, Praia de Fora e Perequê, algumas dessas construções ainda tem algumas ruínas que podem ser vistas na praia. Podendo considerar que a colonização da Ilha Grande foi entre 1700 e 1800.

   A Ilha Grande estava dividida em 3 grande fazendas, onde na praia preta

   Esses registros confirmam o interesse da colonização da Ilha Grande, e muitos produtos eram levados para a Europa principalmente o Café.       Passando a cultura o tráfico de escravos, ja que não tiveram sucesso em escravisarem os Indios.